COMUNIDADE BOA NOVA
COMUNIDADE BOA NOVA
 
   
 
   
   
 
 
 
 
 
 

Home » CATÓLICOS EM CÉLULAS » O SOL EUCARÍSTICO

O SOL EUCARÍSTICO


Comunidade Católica Boa Nova | 18 abril, 2013

COMPARTILHE ESTA PAGINA


Quando me mudei da cidade onde nasci, passei a morar em uma região onde um dos fatores favoráveis é o clima. A temperatura média anual está na casa dos 22 ͦC, o ar é mais puro porque estou mais distante dos grandes centros e a cidade por estar em uma área próxima de uma serra constituída por uma falha geológica, tem bastante incidência de ventos.
Por estar no centro-oeste do estado de São Paulo, é também uma região muito ensolarada, e desta forma a convergência destes fatores geográficos e climáticos torna a região agradável, quase sempre com uma sensação térmica de frescor e com dias claros e limpos.
Escrevo isto, não para elogiar o local em que hoje moro, mas porque estas características são geralmente agradáveis porque a maioria das pessoas gosta de estar em dias ensolarados, porém não escaldantes; habitualmente gostamos de sentir o frescor de uma manhã ou uma tarde clara e limpa com uma temperatura que não nos castigue.
Esta agradabilidade climática natural também se apresenta no mundo espiritual. A imagem de um deserto causticante nos remete à desolação da alma e ao abandono às forças do mal, basta que nos lembremos o que as Escrituras nos contam sobre as serpentes ardentes que o povo de Deus enfrentou, por causa de seus pecados, quando atravessaram o deserto (cf. Ex); mas os dias gelados, ou as noites escuras e frias que endurecem os pés e as mãos, também nos reportam às escuridões frias das sombras que endurecem os corações e amedrontam, basta também que nos lembremos do que aconteceu com S. Pedro na noite em que Jesus foi entregue (cf. Jo).
Tanto em uma situação como em outra podemos encontrar um paralelo com a realidade espiritual que mostra uma alma escondida e encolhida buscando refúgio onde só há desespero.
Encontramos porém, uma passagem que nos fala ao coração: “Pois o nosso Deus é misericordioso e bondoso. Ele fará brilhar sobre nós a sua luz e do céu iluminará todos os que vivem n escuridão da sombra da morte, para guiar os nossos passos no caminho da paz.” (Lc 1,78-79).
Estas belíssimas palavras, até mesmo poéticas, nos falam desta condição climática ideal para nossas almas; esse lugar agradável onde o sol nos tira da escuridão das sombras da morte, quer sejam sombras escuras do gelo quer sejam sombras fatigantes da aridez.
Quando o sol da justiça, que é Jesus, ilumina a alma e a aquece de maneira sadia então cessam tanto o calor causticante como o frio congelante, somos retirados dos cantos úmidos onde se proliferam bichos, somos sacados de sombras estéreis que, se nos livram da incidência direta de um sol de deserto, não nos aliviam do ar quente e sufocante.
Somente o sol de Cristo, que faz iluminar a alma e aquecer de forma sadia os cômodos interiores de nossa existência é que nos dá esta sensação renovadora e esta saúde espiritual.
Lemos na Bíblia Sagrada: “O rei que governa com justiça, que governa respeitando a vontade de Deus é como o nascer do sol numa madrugada sem nuvens, como o sol que faz a grama brilhar depois da chuva” (II Sm 23,3b-4). Este rei justo que governa na plena vontade de Deus é o Senhor Jesus, e o Seu reino está bem firmado no coração que O adora.
Jesus eucarístico é a manifestação mais constante da justiça de Deus para nossas almas. Aqueles que se deitam sob os raios deste sol eucarísticos se revigoram como a vegetação iluminada numa manhã sem nuvens, como uma vegetação coberta pelo orvalho da graça e aquecida por um sol revigorante, no frescor de um clima agradável, o clima do amor e da santidade que repousa sobre os que habitam nas montanhas da oração e são impactados pelos ventos do Espírito Santo.
Por esta razão que as Escrituras dizem da alma que acolhe em si o sol que é Jesus: “Deus armou no céu uma barraca para o sol. O sol sai dali todo alegre como um noivo, como um atleta ansioso para entrar numa corrida. O sol sai de um lado do céu e vai até o outro lado; nada pode se esconder do seu calor” (Sl 19,5c-7).
O sol eucarístico é a iluminação das almas que O adoram e estas quais noivas, são iluminadas pelo Seu amor e veem Sua vitória que os ilumina em todas as áreas de seu ser. Estas almas podem, expostas a este Sol de amor declarar com o salmista: “Tu, ó Senhor, me iluminas; tu, meu Deus, acabas com a minha escuridão.” (Sl 18,29).
Seja assim a minha e a sua vida, Jesus nos aguarda em Sua real e palpável presença eucarística, afim de nos iluminar e aquecer, afim de nos governar com a Sua justiça.

Em Cristo
Sandro F. Peres

Fonte: Site Comunidade Fanuel -SP

Deixe um comentário